Cássio mostra extrema preocupação com a falta de água

O senador Cássio Cunha Lima (PSDB-PB) participou de evento promovido pela Associação Comercial de Campina Grande que enfocou temas que estão prejudicando a cidade atualmente como a gravíssima crise hídrica e a questão da segurança pública cujos efeitos prejudicam não apenas a Rainha da Borborema, mas a população de toda a Paraíba.

ABASTECIMENTO DE ÁGUA – Da Tribuna do Senado Federal, o senador voltou a cobrar atitudes enérgicas dos governos estadual e federal no que diz respeito à implantação urgente de um plano de contingência para que os efeitos da seca que atinge o Estado atualmente sejam minorados.

“O Estado não pode colocar toda a resolução do problema de desabastecimento de água na conclusão da transposição que só deverá ficar pronta no mínimo em 2017, além de apenas esperar que as chuvas voltem a cair. É preciso uma ação efetiva para construção de adutoras, perfurações de poços, enfim, precisamos ações efetivas e se for o caso, a adoção de uma operação de guerra para que a transposição tenha o seu período de construção abreviado. O que não pode ocorrer é o colapso no abastecimento de água por causa da omissão de quem foi eleito para resolver a questão”.

Cássio lembrou que Boqueirão não chegou onde está de um dia pra o outro. “Foram feitos diversos alertas à Agência Nacional das Águas e a AESA e nenhuma providencia foi tomada”.

O senador relembrou uma sessão da Assembleia Legislativa realizada na cidade a cerca de dois anos quando o professor Janiro Rego fez uma explanação na qual alertava para o colapso nas reservas de Boqueirão que se desenhava já naquela época.

Ele destacou que o governador do Estado se omite totalmente ao não assumir as suas responsabilidades e joga todas as alternativas apenas na conclusão da transposição.

SEGURANÇA PÚBLICA – O senador Cássio destacou que “de fato a segurança pública é um problema nacional, mas denunciou que o que ocorre na Paraíba é ainda mais grave porque o governo simplesmente ignora questão. Para ele é comum ouvir integrantes do governo e o próprio governador dizerem que a situação “não é tão grave como denunciado pela imprensa e a oposição”.

“Mais o fato é que as pessoas estão aterrorizadas com a escalada da violência e o governo ignora esse pedido de socorro ao não contratar mais policiais, por exemplo, como uma medida inicial”. Vale lembrar que durante a última campanha eleitoral o atual governador se comprometeu e contratar policiais que estão habilitados para assumir”.

ECONOMIA – O senador paraibano fez uma explanação do atual cenário macroeconômico do país e externou a sua preocupação com a falta de medidas reais que impactem positivamente a economia brasileira. Cássio alertou que se forem confirmadas as estimativas de inflação cujo número está próximo dos 10%, será a maior taxa dos últimos 13 anos.

Já as projeções para o Produto Interno Bruto, são de queda de pelo menos 3% neste ano e com projeções para 2016 que já apontam um mínimo de 1,22% de queda do PIB, “desde 1930 que não temos dois anos seguidos de recessão”, lembrou o senador paraibano.

“A tudo isso, some-se a elevada taxa de juros que continuam a patamares estratosféricos e que atinge duramente a política fiscal e a economia real”.

INDÚSTRIA – Segundo a Confederação Nacional da Indústria, a taxa básica de juros elevada contribui para a retração da atividade industrial pois “os juros altos encarecem o capital de giro das empresas, inibem os investimentos e desestimulam o consumo”.

Segundo revelou o senador, a indústria brasileira vem acumulando resultados negativos ao longo deste ano e as perspectivas para o próximo ano também continuam piorando de forma recorrente. “Conforme o último Boletim Focus, a contração prevista para 2016 é de 1%. Para este ano, a queda estimada é de 7%.”.

COMÉRCIO – Cássio lembrou que em agosto de 2015 o comércio varejista  teve variações de menos 0,9%  em volume  de vendas e menos 0,2% na nominal, ambos frente ao mês imediatamente anterior. “Foi o sétimo resultado negativo seguido para o volume de vendas, acumulando no período uma perda de 6,4%”, disse. “Em relação a agosto de 2014, o comércio varejista recuou 6,9%, quinta taxa negativa consecutiva nessa comparação”.

PERSPECTIVAS – Cássio disse que além das crises, econômica e política, o país vive uma grave crise de confiança reforçada por todos os escândalos de corrupção que são denunciados diariamente e a sociedade não enxerga capacidade no atual governo para reverter este quadro que se desenha.

“A cada dia que passa, o problema fiscal vai ficando cada vez mais complicado devido à falta de consenso sobre como resolver o problema tanto no curto quanto no longo prazo”.

Ele disse que a perda de grau de investimento para o país por parte da agência de classificação de risco Standard and Poor’s, revelou para o mundo e os investidores que o atual governo perdeu a capacidade de liderar o país.

“A série de números negativos indica um cenário de recessão ainda mais prolongada. A expectativa é de um “mergulho” ainda maior na recessão. Se não houver uma grande mudança no cenário político e econômico, a perda do grau de investimento nas outras duas grandes agências de classificação de risco Fitch e Moody’s, é, infelizmente, bastante provável”.

O senador, que é líder do PSDB no Senado, disse que o país não pode ser punido pelos escândalos de corrupção protagonizados pelo Partido dos Trabalhadores, “a única preocupação do governo atualmente é tentar barrar o processo de impeachment na Câmara Federal e para isso, distribui ministérios para a base aliada sob o argumento não de melhorar os serviços prestados, mas para recompor a base aliada na Câmara”, afirmou.

Você pode gostar...